O mito da imparcialidade jornalística

#ComunicadoresComDilma

Não conheço jornalista esportivo que não tenha seu time do coração. Não conheço jornalista cultural que não tenha preferências por escritores, compositores ou cineastas específicos. E, em nenhum desses casos, eles são acusados de ser imparciais o suficiente para não conseguirem  informar com um mínimo de qualidade, ética e credibilidade.

O mito da imparcialidade jornalística ainda resiste nas redações brasileiras com um propósito único: impedir que comunicadores exerçam seu legítimo direito à cidadania, apoiando candidatos diversos do que os dos seus patrões. E por candidatos diversos do que os dos patrões, entenda-se candidatos de esquerda. É simples assim! Ou alguém já ouviu falar de algum barão da mídia pressionar funcionários que professem sua fé em medidas neoliberais, que batam com ou sem razão nos governos petistas, que afirmem com toda a convicção possível que a o país está à beira de um abismo?

Já houve época em que as redações…

Ver o post original 360 mais palavras

Deixe sua opinião abaixo e apareça no Blog ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s